Notícias

19-01-2015 às 05h40 - 212 visualizações


Readequação do Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Rosário

Readequação do Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Rosário

O Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Rosário, fundado no ano de 1959, passará por uma readequação para que o município de Mamanguape possa atender às prerrogativas legais deliberadas pelo Ministério da Saúde. Diferentemente de tudo o que foi falado nas últimas semanas, o hospital não fechará suas portas, nem encerrará suas atividades. O prédio passará por uma reforma, iniciada nesta segunda-feira (19) e com previsão de termino para 30 (trinta) dias, sendo em seguida entregue à população com um novo formato de atendimento.

O processo de mudança teve inicio através de uma reunião realizada em Brasília no Ministério da Saúde com a Secretaria de Saúde do estado e os municípios que receberam em seus territórios a implementação de hospitais regionais. O estado, através do secretário de saúde e do governador, havia anteriormente pleiteado o dinheiro da média e alta complexidade (MAC) que entrava no município. O pedido era para que os recursos destinados ao hospital municipal fossem direcionados ao Hospital Geral de Mamanguape. Esse dinheiro vai entrar no Fundo Municipal de Saúde e será repassado para o HGM, o que inviabiliza o funcionamento do hospital e maternidade municipal nos moldes atuais.

Mesmo sem ter a estrutura e as condições adequadas, o Hospital e Maternidade Nossa Senhora do Rosário sempre atendeu a população de todo o Vale do Mamanguape. A diferença entre gasto e repasse era de duas ou três vezes a mais do que o recebido, obrigando o serviço a funcionar no limite de sua capacidade. Todo esse conjunto de situações obrigou o município a readequar o perfil do hospital municipal, que passará por uma pequena reforma iniciada nesta segunda-feira (19) e terá o seu atendimento normalizado a partir do mês de fevereiro, passando a funcionar como Unidade Integrada da Família Nossa Senhora do Rosário, com médicos, equipes de enfermagem e especialistas.

Objetivando descentralizar os serviços e atender melhor a demanda tanto da zona urbana quanto da zona rural, foi determinado pela Secretaria Municipal de Saúde que os dois postos dos maiores distritos do município, Camaratuba e Pindobal, funcionem a partir de fevereiro como PSF durante o dia e a noite como unidade de saúde com médico, enfermeiro (a), técnico (a) de enfermagem e ambulância à disposição para transferir os casos mais graves para o Hospital Geral de Mamanguape. Um desses postos funcionará no Vale do Camaratuba e atenderá a população de Pitanga da Estrada, Imbiribeira, João Pereira, Brejinho, Jurema, Hortifrutigranjeiro e Marco do Meio. O outro funcionará em Pindobal no mesmo molde e com os mesmos serviços.

Tanto o Prefeito Eduardo Brito quanto o Secretário de Saúde, Elisandro Bezerra, que concederam na última sexta-feira (16) entrevista a uma emissora local, rechaçaram os boatos de fechamento do hospital municipal e deixaram bastante claro que o município não pôde exercer o poder de escolha, pois o recurso antes destinado ao município irá, obrigatoriamente, para o Hospital Geral. O redirecionamento do repasse tornou a readequação uma imposição. Em sua fala, o prefeito se mostrou disposto a colaborar com o HGM e disse que cada ente precisa assumir suas responsabilidades. Os profissionais da maternidade serão deslocados para outros serviços do município no intuito de garantir um bom atendimento local e desafogar o HGM.

DICOM/PMM, com SMS/PMM

 






Prefeitura Municipal de Mamanguape
Copyright @ 2015 - Todos os direitos reservados